Era uma casa muito engraçada - Não... não era nada engraçada!


Olá minhas queridas seguidoras... Vamos dar um olá também, às pessoas que só vem aqui para colher informações! HAhahaha... Eu rio... mas acho que não era bem para rir...
Mas a gente acaba descobrindo que uma coisa leva a outra...
Esqueçam a casa... Ela não tinha teto, ela não tinha nada... E quem mora lá... Não liga pra nada não...

Vou falar sobre uma coisa que fico indignada... Tentarei ser breve para vcs poderem acompanhar!
Muito está se falando hoje em dia sobre a predileção dos pais por um filho...
Eu sempre encarei da seguinte forma: Um pai, ou uma mãe, não ama mais um filho que o outro, o que acontece é que ela tem mais afinidade com um do que com outro. É como se tivessemos 2 amigas, e com uma a gente se da melhor do que com a outra. Mas cuidado gente... Liguem a sirene de vocês...
Acho que a afinidade é algo que os pais devem guardar dentro deles... Não exteriorizar para quem quiser ver... Tem que se ter muito jogo de cintura e saber dedicar seu tempo, sua atenção, seu carinho a todos os filhos de maneira igual. Mas tem pessoas que se diz pai, se diz mãe não é? Mas na hora do vamos ver, na hora de você mostrar a sua qualidade paterna... Hã? Cadê? Tinha uma mãe aqui... Alguém viu? Ahhhhh mas é... para o filho fulano de tal ela só a mãe quando convém a ela... quando é para ajudar o filho, ela não pode, pois os interesses dela é mais importante do que ajudar aquele que nunca se negou a ajuda-la...
É o fim quando a mãe (ou o pai) faz de tudo pelo filho mais rebelde... é capaz de retorcer o mundo por causa de um filho "problemático". E quando chega a vez de ajudar aquele filho que muito mais ajudou, que sempre esteve ali perto dela sempre que ela chamou, que não se importou se era dia ou noite para ajuda-la, a mãe (ou o pai) simplesmente da as costas. Porém se fosse o filho problemático a pedir o mesmo, ou até coisa pior... ela seria capaz de fazer e brigaria com o mundooooo por causa daquele que resolveu ser um estorvo!
Eu estou falando disso meninas... Pois eu vi isso acontecer perto de mim, e fiquei consternada... Eu fiquei abalada com o que vi!
Pais que não sabem dizer não ao filho que tem que ouvir não, e para aquele que sempre ajudou eles puxam o tapete. O que vocês acham que sente este filho? Que toda ajuda prestada foi em vão, que o amor que ela alimenta pelo outro, esta bem longe do amor que ela alimenta por ele!
Eu tenho uma filha de 4 e uma de 7... Sei que não posso exigir da de 4 o mesmo que faz a de 7, e justamente por isso as vezes acho que a de 7 fica mais atarefada. Mas eu sei dosar isso. Faço questão de premia-la de várias maneiras pela ajuda dada. E sempre que a de 4 também realiza algo além de seu alcance também recompensamos! Saber dosar, para que nenhuma das duas sinta o que este rapaz citado acima esta sentindo, que seus pais amam mais um filho do que o outro!
Então meninas... cuidado! Cuidado com a divisão, o tratamento, o carinho, o amor que vocês doam aos seus filhos. Há que existir um equilibrio... Há que existir a vontade de ver todos os seus filhos vencerem juntos! Lembre-se também que, quando nossos filhos crescem nós crescemos com ele! Se nossos filhos conquista uma vitória é como se nós as conquistassemos, ah vc não pensa assim... vc é vc, e seu filho é filho? Então vc não é mãe... me desculpem a palavra, mas você é só uma parideira...
Disputar com seu filho quem tem mais capacidade de vencer na vida torna você um ser desprezível... E passamos a questionar... Isso é ser pai ou mãe? Querer ser mais que seu filho? Para mim não... Para mim ser mãe, é dar alicerces para minhas filhas construirem suas vidas, é estar sempre lutando com elas juntamente, para o sucesso. Se elas não souberem usar as ferramentas que dei a elas para o bem, e por algum motivo elas resolverem seguir caminhos tortuosos, estarei ali 1 ou 2 vezes para alerta-las, mas se insistirem por uma caminho errado, ai sim terão que reconstruir sozinhas aquele alicerce que um dia ajudei a construir...
Achei lamentável o que presenciei... Achei lamentável esta mãe ainda colocar os outros irmãos contra este filho iluminado, que sempre a ajudou, que sempre moralmente esteve ao seu lado, um filho inquestionável... Mas que para ela, não passa de um degrau para ela subir e conquistar, sabe... aquela casa muito engraçada que não tinha teto não tinha nada...


Graças a Deus sou filha única :D


Amigas... Cuidem bem de seus filhos, se você quer que um dia eles cuidem bem de vocês, cuidem bem deles!
Amamentem pelo menos até os 6 meses... Não existe leite fraco, e nem falta de leite... O que está faltando ai é amor...
Brinquem com seus filhos, faça bolo com eles, biscoitos...
Pinte desenhos... Sejam pais, sejam mães... Sejam merecedores desta dádiva rica que Deus nos deu de conceber uma vida e poder orienta-los para sempre!
Não sejam pais ricos, Sejam ricos pais...

Pensem, reflitam, enriqueçam seu lado pai.
Criem lindas crianças que mais tarde ajudarão o mundo a crescer, não crie mais um para as estatísticas fúnebres do governo...

Bem vindos a este cantinho os bons pais!
A a aquela mãe citada a cima... ah não desculpa... esquece... ela não é mãe!

Beijinhus de uma verdadeira MÃE.

6 comentários:

Luciana disse...

É MIchelle é incrível o comportamento de determinadas pessoas que se dizem eu sou mãe eu sou pai, mas que na verdade estão muito longe de ser.Sabe o que me deixa chateada é que filhos é uma opção, uma escolha e não um acidente de percurso,então se você não é capaz de se doar, se é egoísta,não tenha filhos não é mesmo?Eu tive muita sorte de ter pais sempre muito presentes na minha vida, sempre orientando,ajudando e hoje procuro fazer a mesma coisa e até melhor do que eles é difícil? Sim, mas é uma escolha minha e que tenho o maior prazer em realizar e fico furiosa quando vejo certas atitudes de certas pessoas com relação aos filhos que não sabem dar o devido valor a este tesouro com que Deus nos abençoou isso é muito triste.
Beijos e uma ótima semana

Sil disse...

Oi Micheli,
Cheguei aqui no seu blog por indicação de uma amiga e adorei, quanta coisa legal, já me tornei seguidora, como tem muita informação e quero entender o funcionamento das atividades irei aos poucos te visitando.
Muito legal a sua ideia.
abraços

Silmara

http://tiaprifessora.blogspot.com disse...

Querida Michelle,SIM-PLES-MEN-TE maravilhoso esse seu artigo...Vou inclusive compartilhar no meu Face,porque afinal,isso é mais sério do que se pode imaginar e o reflexo em adultos,é uma mágoa que não cicatriza.Pude sentir isso de perto(não comigo,pois sou filha única também)mas posso afirmar que o pior,é quando existe o "fingimento" na preocupação com um determinado filho,que quando liga para este ,é nítido o sentimento de obrigação.Isso existe sim,mais do que se possa imaginar e não acho que isso deva ser "perdoado",afinal,os seres humanos tem o péssimo hábito da memória curta,envelhecem "tornam-se santos"...Aí...tem gente que vê os velhinhos no asilo e dizem "-Nossa,coitadinho,nenhum filho vem ver!"Mas ninguém pensa:_O que será que essa pessoa fez pra não ter visita?" É óbvio que cada caso é um caso,e óbviamente esse meu comentário se aplica a um caso em especial,mas digo e repito,esse seu artigo foi digno de ser compartilhado...Beijos "tia"Prifessora.

Artes da Eula disse...

Oi michele, Parabéns por este post. Isso sim é ser verdadeiramente MÃE. Enquanto eu estou aqui doida pra ser mãe, e me dedicar ao meu filho, tem gente que ñ dá valor a dádiva que Deus a concedeu! Eu me emocionei lendo o post. Bjinhus

arte é vida disse...

ola querida eu estou vindo avisar que vou enviar seus mimos da nossa troca apos a pascoa ja esta tudo probto bjs

Nelma Medeiros disse...

Oi Michelle! Amei o que vc disse sobre ser mãe, verdades incontestáveis. Isso me fez ver muitas coisas na minha própria maneira de ser mãe que precisa ser melhorada. Também tenho dois filhos de 4 e 1 aninho, amo-os mais que tudo, mesmo assim e talvez por isso cometo erros. É sempre bom termos pessoas como você pra abrir nossos olhos para como estamos cuidando do futuro...
Bjos.